Na sexta-feira, dia 19, profissionais de enfermagem do Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (HEJA) passaram por treinamento sobre uma série de procedimentos. As informações abordaram as escalas de Mews, Morse, Braden, Schein e de Maddox, além da sistematização da assistência de enfermagem. O treinamento foi conduzido pela gerente de enfermagem, Eliete Martins de Azevedo, e pela coordenadora do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, Isabela da Silva Ribeiro.

Eliete explica que o evento foi pensado para alinhar e realizar alguns ajustes na parte de evolução de enfermagem, o que é de competência exclusiva do enfermeiro. Na oportunidade, foi mostrada a importância do registro e quais impactos no tratamento podem ocorrer por não se informar o cuidado prestado aos pacientes. “É através destas informações que a equipe de enfermagem dá prosseguimento no processo de cuidado”, explica.

As escalas abordadas mostram a importância do olhar clínico do profissional enfermeiro frente ao paciente como, por exemplo, apresentando uma lesão por pressão, podendo evitar uma queda da cama, evitando a deterioração do paciente, verificando os sinais vitais a cada hora, trabalhando ao máximo para se evitar um óbito.

Escalas

A escala de Mews tem como principal finalidade identificar precocemente sinais de deterioração clínica do paciente, com base num sistema de atribuição de pontos aos parâmetros vitais: quanto mais distante dos parâmetros de normalidade maior a pontuação. Conhecer os resultados do protocolo de identificação de deterioração clínica, baseado no Mews, é necessário para conhecer a realidade do setor, identificar fragilidades e propor melhorias.

A escala de Morse é uma escala de avaliação do risco de queda, desenhada para adultos e amplamente utilizada no Brasil. A escala deve ser calibrada para cada contexto para que as estratégias de prevenção sejam dirigidas aos doentes que estão em maior risco.

Por sua vez, a escala de Braden é um recurso utilizado nas Unidades de Terapia Intensiva e em pacientes internados para medir o risco dos pacientes críticos de desenvolverem lesões por pressão. A partir desse registro, enfermeiros conseguem aplicar medidas preventivas e promover um tratamento mais eficaz gerenciando cuidado aos pacientes críticos.

A escala de Schein tem a função administrativa do enfermeiro, que regulamenta o seu exercício profissional, fazendo a distribuição de cuidados para os técnicos de enfermagem: planejamento, organização, coordenação, execução e avaliação dos serviços de enfermagem. Já o Sistema de Classificação de Pacientes (SCP) é um processo no qual se procura categorizar pacientes de acordo com a quantidade de cuidado de enfermagem requerida, ou seja, com base no grau de complexidade da assistência de enfermagem.

Por fim, a escala Maddox é o monitoramento da terapia intravenosa a pacientes internados. O procedimento é importante para a garantia de uma assistência de enfermagem adequada e eficaz. Esse monitoramento viabiliza toda a administração de medicação, hemocomponentes, ou outros fluidos, tais como dietas parenterais ou soroterapia, fazendo com que o profissional de enfermagem evite uma flebite, ou seja, uma inflamação no membro que está com soro por mais tempo.