Rompendo as barreiras para além da Unidade, profissionais do Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (HEJA) realizaram visitas em diversas localidades e bairros do município. O “Projeto bem-estar e cuidados com a vida” ocorreu durante metade do mês de março e todo o mês de abril. Ele contou com a participação de enfermeiros, médicos, equipe multidisciplinar, além de técnicos de enfermagem e biomédicos.

Segundo o diretor técnico e médico do HEJA, Dr. Thiago Campos, o principal objetivo foi a prevenção. “Nós tivemos a oportunidade de trabalhar em comunidades e bairros mais afastados, que ainda não tem atendimento básico atuante. Levamos atendimento médico, solicitação de exames e encaminhamentos para consultas de especialidade”, resumiu.

O HEJA fez parcerias com escolas e creches, asilos, APAE e igrejas. O resultado foi a realização de mais de cinco mil atendimento em apenas um mês. “É muito gratificante”, ressaltou.

Necessidades atendidas

O médico acredita que essas ações possibilitam conhecer melhor quais são as demandas da população de Jaraguá. “Somos hoje um Hospital Estadual e o nosso plano é entender as demandas de toda a região. Essas ações nos permitem perceber quais são essas demandas, seja nas especialidades, cirurgias e, principalmente, com foco em prevenção”, reforçou Thiago.

De acordo com a psicóloga do HEJA, Maria Vanessa Martins da Silva, a ação cumpriu o objetivo de aproximar o cuidado médico da população. “Em todos os lugares que estivemos reforçamos a importância dos cuidados com a saúde psicológica, proporcionamos atendimentos médicos, nutricional, exames e testes rápidos”, disse.

A diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Lar Betel, Maria Camargo Brandão, elogiou a iniciativa. Segundo ela, a ação proporcionou que a escola tenha mais informação sobre a saúde dos alunos. O local foi visitado no dia 28 de março, uma quinta-feira. “Os pais, muitas vezes, não têm o tempo de acompanhar, têm dificuldades de levar os filhos ao médico. Hoje já recebemos os encaminhamentos para que o acesso à saúde seja melhor e mais rápido”, afirmou.

Atendimentos e exames

No dia 30 de março, foram realizados atendimentos na Igreja Assembleia de Deus Rosa de Saron no bairro Jardim Primavera. A equipe do HEJA montou uma tenda na área externa da Igreja. Para o pastor José Antônio Lisboa, conhecido na cidade como pastor “Catiri”, a iniciativa garantiu atendimentos à população que mais carece de serviços de saúde. “O que aconteceu por todo o dia aqui na Igreja é importante para a nossa comunidade do Jardim Primavera, Uma forma de atender como se estivessem no Hospital”, agradeceu.

A Câmara Municipal de Jaraguá também foi palco para a visita da equipe. No dia 10 de maio, os colaboradores realizaram testes de aferição de pressão, HGT, hemograma, glicemia, colesterol e ECG. O vereador e presidente da Câmara, José Roberto Moreiro, elogiou a equipe do HEJA e os profissionais que estavam presentes na ação. “Até eu tive a oportunidade de realizar exames. Nós parabenizamos os enfermeiros, psicóloga, os biomédicos que tiraram o dia para prestarem atendimento aqui”, vibrou José Roberto.

Segundo o biomédico do Hospital, Henrique da Silva Souza, a equipe fez prognósticos de hepatite B e C, HIV e sífilis. “O quanto mais rápido forem diagnosticados problemas desse tipo, mais rápido é a possibilidade de já iniciar o tratamento. Hoje tivemos um caso de soro positivo [HIV/AIDS]. Passamos para o atendimento médico e já foi agendada a consulta no Hospital para poder iniciar a sorologia e o tratamento”, esclareceu.

No dia 27 de maio foi a vez da Igreja Universal. A equipe foi recebida pelo pastor e líder do bairro Dhema da Mata, Jeferson Henrique de Sousa.

Saúde dos jovens

A ação também englobou a todos os colégios estaduais que atendem adolescentes do ensino fundamental e médio. Um dos colégios com mais de mil alunos matriculados, nos três turnos, é o Colégio Estadual Diógenes de Castro Oliveira. A coordenadora do turno vespertino, Maria Odete Vieira de Sousa, ressaltou a importância de o HEJA trazer serviços de qualidade.

Para ela, faz total diferença no desenvolvimento dos jovens que estão em um momento delicado de descobertas. “Muitos dos nossos alunos não tem oportunidade, tempo ou orientações para procurarem uma Unidade. Virem a escola e se colocarem à disposição para atendê-los; isso colaborou bastante”, relatou Maria Odete.

Veja fotos do Projeto:

Ajustar fonte