Em comemoração ao Dia dos Pais e com a perspectiva de humanizar o ambiente hospitalar, a equipe do Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (HEJA) realizou a Semana de Qualidade de Vida dos Pais. A ação foi desenvolvida em parceria com a equipe multidisciplinar e contou com palestras, oficinas de origami e um culto ecumênico.

Como explicou o diretor técnico da Unidade, Dr. Thiago Campos, a direção pensou em trazer os pais dos colaboradores e garantir a eles alguns atendimentos em comemoração ao Dia dos Pais. Foram ofertadas consultas com nutricionista, psicólogo, além de exames médicos e serviços como corte de cabelo.

“A ideia desse projeto nasceu na tentativa de trazer as famílias dos nossos colaboradores para dentro da Unidade. Os colaboradores ficam muito mais tempo dentro da Unidade do que em casa, somos uma segunda família. Conhecer e interagir entre os colegas garante uma interação maior”, afirmou Dr. Thiago Campos.

De acordo com a responsável pelo Núcleo de Educação Permanente, Talita Lopes, a ação é para promover o bem-estar e para conscientizar a população, principalmente os pais, sobre a importância da saúde. “É de fundamental importância para os pacientes e todos que compõem o ambiente hospitalar. Nós priorizamos levar um atendimento com qualidade, humanização e informação”, reforçou Talita.

Para o colaborador Adriano Luis, porteiro da Unidade, este tipo de ação humaniza. “É um trabalho muito bom. Eu acho ótimo e me sinto valorizado e lembrado nesta data”, disse Adriano. Já para o jardineiro Jorcelino Lucio, que participou da tarde de alongamentos, a ação foi um momento gostoso e descontraído. “É um incentivo bom para a gente, para a nossa saúde. Deixou na memória, uma tarde saudável, tranquila. O corpo com os alongamentos ficou mais descansado, voltamos mais disponíveis e animados para o trabalho”, reforçou Jorcelino.

Alimentação e ansiedade

A psicóloga do HEJA, Maria Vanessa, ministrou uma palestra sobre ansiedade e alimentação. “O autoconhecimento para identificar se a fome que está sentindo é fisiológica ou psicológica. Quando fisiológica, sentimos o estômago roer. Já a fome psicológica é aquela fome em que a pessoa já comeu e, ainda assim, quer comer mais e geralmente algo específico. A pessoa sente culpa depois de comer, nesses casos. O fato de parar, prestar atenção e sair do automatismo já ajuda a diminuir esse hábito”, explicou.

Avaliação nutricional

Já Bruna Paiva, nutricionista do HEJA, realizou a avaliação nutricional dos presentes usando a balança de bioimpedância. “Medimos o percentual de gordura dos pais, determinando o peso ideal. Também demos orientações nutricionais para perda de peso e combate ao sedentarismo com objetivo de melhorar a qualidade de vida deles”, disse.

Bruna também orientou sobre consumo de açúcar e sódio para controle de hipertensão e diabetes; além de técnicas de respiração, orientações posturais e relaxamento.

Ajustar fonte