Pela primeira vez, o Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (HEJA) realizou eleições para a formação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). A votação é anual e foram 25 inscritos. Destes, sete serão escolhidos por votação e os outros sete são indicações da Diretoria da Unidade, totalizando um grupo de 14 membros.

Conforme a Técnica de Segurança, Maria Lucileide Pessoa, que está há três meses no HEJA, afirma que a CIPA é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho. “Junto com os colaboradores, levantaremos possíveis melhorias na qualidade do trabalho. Nossa missão é evitar possíveis doenças ocupacionais. Conseguimos envolver em dois dias de votação mais de 70 % da equipe”, relatou.

1º SIPAT do HEJA

Com a CIPA formulada, haverá treinamentos e reuniões mensais entre os membros da CIPA em prol da promoção da qualidade do trabalho para o colaborador. De acordo com Maria Lucileide, a Unidade realizará a Semana Interna de Prevenção de Acidentes no trabalho (SIPAT) com palestras, treinamentos, levantamento das falhas e pontos que precisam ser trabalhados, investigação dos tipos de acidentes mais corriqueiros.

“Por exemplo, no administrativo vamos analisar a ergonomia, a postura. Comoa equipe trabalha muito tempo sentada, será que as cadeiras e as mesas estão adequadas? Para os profissionais que atuam com material perfuro cortante, vamos levantar a quantidade de acidentes e reforçar o manual de biossegurança para que não sejam infectados”, reforçou Lucileide.

As mudanças já começaram há três meses, com a chegada da Técnica de Segurança, que montou um formulário que abrange os principais quesitos da NR 32. Esta é a norma que determina regras de segurança no ambiente de trabalho como a vedação ao uso de adornos, brincos e colares.

Relevância reconhecida

A enfermeira do acolhimento, Ludmila Alana Topazio Diniz, parabenizou a nova CIPA. “Isso nos conscientiza, nos faz crescer junto com o Hospital. A CIPA pode promover palestras de conscientização; de como evitar quedas ou possíveis acidentes com perfuro cortantes; agentes biológicos. Sempre conscientizando os colaboradores a oferecer um atendimento mais seguro”, disse a enfermeira.